Painel: Vants e drones – 3 de junho de 2017

By 07/06/2017sem categoria

PAINEL: VANTS E DRONES, SUA INSERÇÃO NO ESPAÇO AÉREO, REGULAMENTAÇÃO E FORMAÇÃO DE PILOTOS, IMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE E ÉTICA NA APLICABILIDADE

MEDIADOR: CLÁUDIO PASSOS SIMÃO

PAINELISTAS

DIMAS DOUGLAS TOMELIN: engenheiro formado na Universidade Federal de Santa Catarina, tendo ingressado na EMBRAER em 2001. Atualmente ocupa o cargo de vice-presidente da área de estratégia de negócios da EMBRAER defesa e segurança (EDS), voltada a servir o governo brasileiro e clientes internacionais. Dimas reporta-se ao executivo-chefe da EDS e tem como responsabilidades o desenvolvimento e implantação de iniciativas estratégicas, incluindo gerenciamento de portfólio, planejamento estratégico e estratégias de crescimento do setor no âmbito internacional. Aquisições, parcerias e alianças também fazem parte de suas responsabilidades. Antes de assumir a presente posição, Dimas desempenhou atividades nas áreas de engenharia e gerenciamento de programas, nos segmentos de aviação comercial, executiva e de defesa da EMBRAER, tendo tido destacado desempenho nas fases de definição, desenvolvimento e implantação industrial do programa KC-390.

NEI BRASIL: piloto comercial e bacharel em ciências aeronáuticas com distinção pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2003). É mestre e doutorando em engenharia aeronáutica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica. É investigador de acidentes aeronáuticos formado pelo CENIPA e especialista em segurança da aviação e aeronavegabilidade continuada, formado pelo ITA. Possui curso de ensaios em voo pela National Test Pilot School, Estados Unidos. Atua em projetos de pesquisa e desenvolvimento no setor aeroespacial e é fundador da Flight Technologies, empresa na qual atua como diretor executivo.   Possui experiência acumulada, principalmente, com: desenvolvimento e planejamento de novos negócios. Captação de recursos no mercado de investimentos para o desenvolvimento de novos negócios com risco tecnológico. Incubação de empresas. Concepção e desenvolvimento de projetos de inovação tecnológica e científica. Elaboração e gestão de projetos de subvenção econômica para inovação tecnológica. Concepção e desenvolvimento de sistemas, programas e projetos de tecnologia para forças armadas. Desenvolvimento de negócios e estratégias comerciais para governo e defesa no mercado interno e externo. Desenvolvimento de cooperações estratégicas, em áreas tecnológicas e comerciais, com empresas internacionais e nacionais. Desenvolvedor de soluções de pilotagem automática, guiamento e navegação autônoma para aeronaves não tripuladas. Desenvolvedor de soluções de interface homem‐máquina para aeronaves tripuladas e não tripuladas. Desquisador de leis de controle adaptativas, com robustez a falhas, para aeronaves comerciais e para aeronaves não tripuladas. Piloto de ensaios em atividades de desenvolvimento tecnológico relacionados com aeronaves não tripuladas para forças armadas. Formação acadêmica 2007 ensaios em voo de veículos aéreos não tripulados National Test Pilot School, Mojave, CA, Estados Unidos 2005 ‐  até o presente Phd., engenharia aeronáutica – ensaios em voo   Instituto Tecnológico de Aeronáutica ‐ ITA, São José dos Campos, SP, Brasil tópico da tese: in‐flight system identification techniques for envelope expansion.

AILTON JOSÉ DE OLIVEIRA JUNIOR: engenheiro eletricista (Universidade Federal de São Carlos) e especialista em segurança de voo e aeronavegabilidade pelo (ITA), ingressou na ANAC em 2008 onde trabalhou inicialmente na gerência geral de certificação de produto aeronáutico como especialista em displays de voo e sistemas de visão. Em 2010 foi designado como ponto focal para as discussões relacionadas com aeronaves não tripuladas que então se iniciavam naquela gerência geral. Em novembro de 2014, foi transferido para a sua lotação atual na gerência técnica de processo normativo da superintendência de aeronavegabilidade onde, entre outras atividades, apoia tecnicamente o desenvolvimento das regras nacionais aplicáveis a aeronaves não tripuladas. É participante do painel de sistemas de aeronaves remotamente pilotadas da organização de aviação civil internacional (OACI) desde sua primeira reunião, atuando como líder do subgrupo responsável pelo desenvolvimento dos SARPS aplicáveis para a certificação de estações de pilotagem remota. Também é instrutor da OACI sobre aeronaves. remotamente pilotadas.

HORÁCIO ARAGONEZ FORJAZ: engenheiro eletrônico formado em 1974 pelo instituto tecnológico de aeronáutica (ita), com título de MSC em computação aplicada obtido em 1980 pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ingressou na EMBRAER em 1974 como estagiário na área de engenharia de sistemas, passando a integrar seu corpo de engenheiros a partir de 1975. Em paralelo às suas atividades na EMBRAER, efetuou programa de mestrado do INPE, obtendo, em 1980, o título de mestre em computação aplicada. Em 1991 foi designado diretor de engenharia da EMBRAER, cargo que ocupou até agosto de 1998, com breve interrupção entre 1995 e 1997, quando deixou a empresa para assumir empreendimento próprio. A partir de agosto de 1998 assumiu a posição de vice-presidente executivo, nesta condição tendo atuado até abril de 2011, quando deixou a empresa, assumindo em distintas ocasiões, responsabilidade pelas áreas de planejamento, alianças estratégicas, recursos humanos, tecnologia da informação, infraestrutura. Marketing, relações governamentais, desenvolvimento social e relações com a mídia. De junho de 2012 a setembro de 2014 foi diretor geral do Parque Tecnológico – São José dos Campos. É conselheiro da SAE Brasil e membro atuante nos programas estudantis SAE voltados a vants e drones – o aerodesign, que caminha para sua 19a. Edição; e o fórmula drone, realizado pela primeira vez de 19 a 21 de maio passado, em Itajubá, MG.

DIEGO DE MATOS MONTEIRO: é engenheiro de manufatura da EMBRAER, Professor de graduação e pós-graduação da ETEP faculdades. Formado em engenharia mecânica pela UNESP de Bauru. Com graduação aplicada à aeronáutica através da participação do SAE Brasil Aerodesign (integrante – 2006-2013 voluntário da organização 2014-2016 e orientador da Etepflying 2017). Mestre em engenharia aeronáutica pelo ITA, com tese de mestrado aplicada à ensaio de voo com aeronaves rádio controladas em subescala. Projetista de pequenas aeronaves radiocontroladas. Aeromodelista e piloto de drones há 15 anos.

 

 

 

Fotos: João Teodoro

Leave a Reply